O que é um Endpoint?

08 de abril de 2024
Créditos: TXOne Networks

Você sabe o que é um Endpoint? Este pode ser um termo desconhecido para alguns.

Até há alguns anos, havia pouca discussão sobre a indústria 4.0 ou IoT, e ainda menos sobre a cibersegurança em OT (Operational Technology), uma sigla que é uma novidade para muitos.

A quantidade de ataques cibernéticos a instalações industriais vem aumentando de forma alarmante nos últimos anos.

Em todo o mundo, empresas de variados portes, das pequenas às gigantes, enfrentam prejuízos milionários devido a ataques de ramsonware que comprometem os Sistemas de Controle Industrial, ou ICS – Industrial Control Systems em inglês, forçando a paralização de suas plantas e operações.

Os Endpoints são dispositivos que fazem parte dos sistemas de controle (ICS), tais como CLPs, IHMs (Interfaces Homem-Máquina), PC Industriais etc.

Fig. 1
Figura 1

Nas instalações industriais é comum encontrar Endpoints antigos rodando com versões de firmware e/ou sistemas operacionais desatualizados e vulneráveis, como, por exemplo, Windows XP, Windows 7, Linux Ubuntu 14, Debian 7 e 8 etc.

Cibercriminosos, cada vez mais habilidosos, estudam meticulosamente os sistemas industriais, identificando pontos vulneráveis para ataques direcionados a plantas industriais.
Nesse cenário, a proteção efetiva dos Endpoints torna-se um pilar crucial para a segurança e a continuidade operacional. Soluções de cibersegurança robustas devem ser capazes de entender os protocolos específicos de redes industriais (PROFINET, Modbus, EtherNet/IP, DNP3 etc) diferenciando comandos legítimos de atividades potencialmente maliciosas.

Os produtos da TXOne destacam-se neste contexto, oferecendo proteção cibernética avançada e especializada, desenhada especificamente para ambientes OT (OT-Native), garantindo defesa eficaz contra ameaças emergentes.

A Defesa em Profundidade é uma estratégia de segurança multicamadas, cujo principal recurso é o DPI – Deep Packet Inspection, que consiste em examinar, em tempo real, os pacotes de dados que circulam nas redes, identificando potenciais ameaças digitais. Aliás, Defesa em Profundidade é mais um termo técnico ainda novo para muitos.

Produtos inovadores como o EdgeOne e o Stellar da TXOne Networks elevam o DPI a um patamar superior, incorporando um algoritmo exclusivo de inteligência artificial com machine learning. Este algoritmo aprende constantemente a identificar padrões normais e seguros de tráfego de dados, adaptando-se às especificidades da rede monitorada. Essa abordagem não só assegura uma detecção de ameaças mais precisa, mas também mantém a alta velocidade de processamento, crucial para não impactar negativamente a performance dos sistemas de controle.

A TXOne desenvolveu o inovador algoritmo Edge V2, um mecanismo avançado de IA que se destaca por sua capacidade de distinguir entre dados válidos e comandos maliciosos, ao mesmo tempo em que aplica regras de segurança de forma autônoma. Esta tecnologia minimiza interrupções operacionais, evitando alarmes falsos, e assegura uma proteção cibernética eficaz sem comprometer a produtividade. Com o Edge V2, a TXOne reafirma seu compromisso em manter as operações industriais contínuas e seguras.

Além dos aspectos técnicos, uma faceta crucial da cibersegurança na indústria é a proteção das pessoas, do meio ambiente e dos ativos corporativos. Na automação industrial, a segurança ultrapassa os limites dos dados e toca diretamente na integridade física dos colaboradores e na preservação ambiental. Diferentemente dos ambientes de TI, nas redes de OT, interrupções inesperadas ou paradas devido a detecções falsas de ameaças podem ter consequências graves não apenas para a continuidade operacional, mas também para a segurança humana e ambiental.

É imprescindível que as soluções de cibersegurança em ambientes OT sejam projetadas com a máxima precisão, evitando alarmes falso-positivos que poderiam levar a paradas não programadas. A segurança das pessoas vem sempre em primeiro lugar, e isso se reflete na maneira como abordamos a proteção cibernética: com um olhar holístico e cuidadoso para a segurança integral, que abrange desde a proteção dos dados até a salvaguarda das vidas humanas e do meio ambiente.

Nesse sentido, proteger nossos sistemas e Endpoints das ameaças cibernéticas não é apenas uma precaução técnica, mas um compromisso com a responsabilidade humana e ambiental, reforçando o compromisso das empresas com a segurança integral em todas as suas dimensões.

 

SAIBA MAIS